infância


E eis que começo a ver fotos antigas, de infância. Começo a lembrar de momentos, de épocas, de pessoas, de casas e até mesmo de ruas.

Percebo que não fui à todos os lugares que tive vontade.
Que não tive todas as bonecas que quis.
Que não fui comer fast-food com os meus pais e irmãos.
Que não tinha o quarto enfeitado de ursos enormes.
Nunca fui a mais bonita da sala (nem a mais inteligente).
Alguns achariam isso motivo suficiente para odiar sua própria infância, eu não.

Eu posso não ter ido à todos os lugares que tive vontade, mas em todos que fui eu estava com pessoas incríveis, que faziam um simples lugar parecer o paraíso.
Eu não tive todas as bonecas que quis, mas as que eu tive me proporcionaram as melhores brincadeiras.
Eu posso até não ter comido fast-food quando criança, mas hoje sei que não perdi nada com isso. Pelo contrário, deixei de perder saúde.
Eu não tinha um quarto enfeitado, mas eu tinha o MEU quarto, que sempre foi o meu lugar especial.
Nunca fui a mais bonita ou a mais inteligente, mas eu sempre tive os melhores amigos do mundo.
Eu pude ter o prazer de brincar descalço na rua, de fazer as roupas das minhas bonecas, de "construir" meu computador de caixa de sapato, de dançar quadrilha na escola, de pegar cartela da loteria pra fazer "dinheirinho", de ajudar minha mãe a limpar a casa e me sentir a pessoa mais foda do mundo, de ir pescar com meu pai e de ter tido infância.


Às vezes tenho pena das crianças de hoje.